sábado, 17 de novembro de 2012

(Resenha) Melancia - Marian Keyes




Titulo: Melancia
Autora: Marian Keyes
Editora: Bertrand Brasil
Páginas: 490
ISBN: 8528609162
Sinopse:
Foi demais da conta para Claire o dia do nascimento de sua filha. Ao acordar no quarto do hospital depara com o marido olhando-a na cama. Deduzindo tratar-se de algum tipo de sinal de respeito, ela nem suspeita que ele soltará a notícia da sua iminente separação: "Ouça, Claire, lamento muito, mas encontrei outra pessoa e vou ficar com ela. Desculpe quanto ao bebê e todo o resto, deixar você desse jeito..." Em seguida, dá meia volta e deixa rapidamente o quarto. De fato, ele sai quase correndo. Com 29 anos, uma filha recém-nascida nos braços e um marido que acabou de confessar um caso de mais de seis meses com a vizinha também casada, Claire se resume a um coração partido, um corpo inteiramente redondo, aparentando uma melancia, e os efeitos colaterais da gravidez, como, digamos, um canal de nascimento dez vezes maior que seu tamanho normal! Não tendo nada melhor em vista, Claire volta a morar com sua excêntrica família: duas irmãs, uma delas obcecada pelo oculto, e a outra, uma demolidora de corações; uma mãe viciada em telenovelas e com fobia de cozinha; e um pai à beira de um ataque de nervos. Depois de muitos dias em depressão, bebedeira e choro, Claire decide avaliar os prós e contras de um casamento de três anos. E começa a se sentir melhor. Aliás, bem melhor. É justamente nesse momento que James, seu ex-marido, reaparece para convence-la a assumir a culpa por te-lo jogado nos braços de outra mulher, Claire irá recebê-lo, mas lhe reservará uma bela surpresa.



••••
Em "Melancia" nos deparamos com a estória de Claire, que tem a vida social perfeita, o marido perfeito, tudo perfeito. Porém, tudo isso acaba quando é deixada pelo seu marido, James, em pleno nascimento de sua primeira filha.

"Quinze de fevereiro é um dia muito especial para mim. É o dia em que dei à luz meu primeiro filho. E também o dia em que meu marido me deixou." - Trecho do livro

Com um bebê recém-nascido nos braços e sem o pai da criança, Claire vê apenas uma solução para sua vida: ir morar com os seus pais. Lá ela passa por diversas fases: a do ódio, a da bebida, a da rejeição em si mesma, a de pensar no ex várias vezes por minuto e, por causa desses momentos chatos e cansativos, eu tive vontade de entrar no livro e dar umas boas palmadas na personagem principal. Ela tem muitos ataques infantis. Me perguntei inúmeras vezes se ela realmente estava a beira dos 30 anos, pois perdi as contas de quantas vezes teve comportamento de criança.

"Quem é o encarregado aqui? Gostaria de me queixar da minha vida. Claramente, pedi uma vida feliz, com um marido amoroso, para combinar com meu bebê recém-nascido, e que falsificação grotesca era aquela que me ofereciam?" - Trecho do livro

Enquanto Claire tinha esses ataques de imaturidade, a sua - divertida - irmã Helen leva um amigo para jantar em casa, o Adam. Ele é o sonho de muitas garotas mais jovens e de mulheres da idade de Claire: bela aparência, gentil, dono de um ótimo humor, sedutor, paciente e que chama a atenção por onde passa. Claire logo sente uma atração por ele, mas logo começa a procurar inúmeros empecilhos. Porém, quanto tudo está dando certo em sua vida novamente, quando ela acha que já consegue dar passos firmes sem precisar de James, ele reaparece dizendo que está arrependido e que quer voltar, ou seja, bagunçando a sua vida. 

E agora? Será que Claire investe em sua nova vida ou tentará recuperar o seu casamento de três anos? Será que depois de ser trocada pela sua vizinha, ela ainda voltará com James? Só lendo para saber. 

Nota: Sinceramente, eu esperava mais do livro. Adorei a Helen e fiquei apaixonada pelo Adam. Talvez, pelo final do livro, vale a pena ler. 


1. Muito ruim 2. Fraco 3. Bom 4. Muito Bom 5. Excelente

P.s: Ficou cansativo de ler? Muito grande? Desculpem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário